Diversidade Humana: um dos pilares da alta performance

Destaque no Prêmio Learning & Performance Brasil 2015/2016, o momento Diversidade Humana reconheceu as instituições que contribuíram para o desenvolvimento de pessoas em nosso país

Um dos pilares da alta performance é o respeito à diversidade humana. Não por acaso, esse tema teve destaque na agenda do Prêmio Learning & Performance Brasil 2015/2016. Logo no início da cerimônia, Francisco Antonio Soeltl, presidente e CEO da MicroPower e do Instituto Learning & Performance Brasil, apresentou a criação do instituto e reforçou a sua causa:

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Prefeitura de São Caetano inaugura Adendo de Livros em Braille e audiolivros


Em celebração ao Dia Nacional do Sistema Braille, comemorado na última quarta-feira (8/4), a Prefeitura de São Caetano do Sul inaugurou o Adendo de Livros em Braille e audiolivros da Biblioteca Dirma das Neves Vicente, localizada na Agência de Desenvolvimento do Bairro Prosperidade (Avenida Prosperidade, 441). Mais informações sobre o novo espaço pelo telefone 4226-6057.
 
O acervo é composto por cerca de 310 volumes de edições em audiolivros, braille e fonte ampliada, doados em parceria permanente com a Fundação Dorina Nowill e o Instituto Benjamin Constant, que prevê a atualização dos mesmos. São livros com temas de autoajuda, educativos, infanto-juvenis e clássicos, como O Pequeno Príncipe, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, Menino Maluquinho, de Ziraldo, Iracema, de José de Alencar, Atlas Geográfico, da Editora Melhoramentos, entre outros diversos exemplares.
 
A iniciativa da Prefeitura valoriza ainda mais o Bairro Prosperidade, já que no local, às quartas-feiras, das 10h às 11h30, são ministradas gratuitamente à população aulas de Braille e Técnicas de Orientação e Mobilidade. E nas quintas-feiras, das 15h às 17h, Língua Brasileira de Sinais (Libras). Alunos do curso de Braille com e sem deficiência visual, a maior parte formada de moradores locais, tiveram o primeiro contato com os livros e aprovaram.
 
“Estamos entregando à população mais esta ação de inclusão. O governo investe bastante no setor, com destaque à natação adaptada, que é referência nacional, o aplicativo CittaMobi, que facilita o acesso aos ônibus municipais para deficientes ou não, e em várias áreas da Administração”, ressaltou o secretário de Comunicação Social e chefe de gabinete em exercício, Fernando Scarmelloti, que na oportunidade representou o prefeito Paulo Pinheiro.
 
Para o secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência ou Mobilidade Reduzida, Thiago Tortorello, o adendo proporcionará aos munícipes com deficiência visual ou não a chance de se atualizarem. “São Caetano é uma cidade inclusiva. Prova disso é o grande sucesso dos cursos aqui na agência. Teremos que abrir novas turmas. Este prédio, que abrigava a Caixa Econômica Federal, foi todo revitalizado no começo da gestão. E agora estamos dando uma utilidade importante, especialmente, para os moradores do bairro.”
 
Além de Scarmelloti e Thiago, estiverem presentes na cerimônia de lançamento, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Graça Pinheiro, a responsável pela agência, Glória Santos, vereador Jorge Salgado, autoridades e funcionários municipais e alunos dos cursos.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

MicroPower confere as novidades da Reatech 2015


Ontem, 9 de abril, a MicroPower foi conferir as novidades na abertura do maior evento da América Latina dedicado às pessoas com deficiência (PcD), a Reatech 2015 - Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade.

O evento, que é gratuito, neste ano reforça o compromisso de trazer inovações em soluções de produtos, equipamentos e serviços, refletindo na melhoria da qualidade de vida e integração da sociedade e ao trabalho das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

A feira acontece até o dia 12 de abril de 2015, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, reunindo durante quatro dias, a indústria nacional e internacional, representada por 300 marcas expositoras de aplicativos, adaptações veiculares, cadeiras de rodas elétricas, próteses e órteses, aparelhos auditivos, produtos ortopédicos, materiais hospitalares, distribuidores de produtos, educação, entidades públicas e privadas, entre outros, numa ampla oportunidade de negócios e relacionamento entre empresas do segmento, profissionais do setor e consumidores.


O Bradesco marcou presença na Reatech, mostrando o site totalmente acessível e o funcionamento do Virtual Vision, solução para que pessoas com deficiência visual possam utilizar com autonomia o Windows, o Office, o Internet Explorer e outros aplicativos, através da leitura dos menus e telas desses programas por um sintetizador de voz.


Para atender as necessidades dos visitantes, a feira terá manual em braille, piso podotátil, maior quantidade de banheiros adaptados e corredores mais largos, facilitando a visitação de todos que frequentarem o evento.


Além da área expositiva, a organização da feira preparou uma lista de atividades culturais e sociais como palco com shows e desfiles, equoterapia, test-drive de carros adaptados e quadras poliesportivas, dentre outras. Diversas empresas do setor de empregabilidade disponibilizam vagas às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, além de receber currículos de candidatos. Um dos principais atrativos da feira é a oportunidade de participar da ampla programação de seminários, workshops e oficinas.


A Reatech acontece na São Paulo Expo, na Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 - São Paulo.

Confira a programação completa clicando aqui.

Sobre a Reatech: Organizada pela Cipa Fiera Milano, é considerada a maior feira de reabilitação na América Latina. O evento reúne agências de emprego (com mais de sete mil vagas voltadas às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida), intituições financeiras, fabricantes de cadeiras de rodas, departamentos de recursos humanos, indústrias farmacêuticas, segmentos de animais treinados, aparelhos auditivos, equipamentos especiais, materiais hospitalares, higiene pessoal, prótese e órteses, terapias alternativas, turismo e lazer.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Exposição “Sentir prá Ver” leva as artes plástica às pessoas com deficiência


No próximo dia 7 de abril, a partir das 19h, acontece a abertura do exposição “Sentir prá Ver”, no “Memorial da Inclusão: Os Caminhos da Pessoa com Deficiência”.

Reunindo uma seleção de 14 reproduções fotográficas de obras do acervo da Pinacoteca do Estado, a exposição “Sentir prá Ver” é um convite, a todos os públicos, para que apreciem, por meio dos sentidos, com ou sem o uso da visão, de alguns dos principais temas das artes plásticas como, retratos, natureza-morta, cenas, paisagens e abstração, pintados por artistas entre os séculos XIX e XX no Brasil.


Os temas representados foram organizados segundo uma leitura comparativa entre obras com temáticas semelhantes, representadas, porém, de formas diferentes, ampliando desse modo, as relações e significados que essas obras poderão suscitar nos visitantes.

Para garantir uma participação mais efetiva e autônoma de todos os públicos, respeitando as suas diferenças e necessidades, a exposição “Sentir prá Ver” foi concebida segundo os padrões de acessibilidade universal dirigidos principalmente às pessoas em cadeira de rodas, com mobilidade reduzida e perda parcial ou total de visão.

Seguindo o mesmo critério de acessibilidade, e para estimular e ampliar o conhecimento e a apreciação da arte utilizando-se de todos os sentidos foram elaborados para essa exposição, recursos de apoio multissensoriais como, reproduções em relevo, maquetes, extratos sonoros, poemas e textos investigativos, sendo estes últimos, disponibilizados em dupla leitura (tinta com letras ampliadas e Braille) para pessoas com deficiências visuais.

A partir da primeira mostra, realizada na Pinacoteca de São Paulo, no ano de 2012, a exposição “Sentir prá Ver” iniciou o seu programa de itinerância, cuja proposta é percorrer cidades do interior e litoral do Estado de São Paulo, como também, cidades de outras regiões do Brasil, contribuindo efetivamente para que o conceito de inclusão tenha um efeito multiplicador de incentivo e viabilização ao acesso de todos os públicos, independentemente de suas diferenças e necessidades.

A exposição continua do dia 8 de abril a 26 de junho, das 9h às 18h, de segunda à sexta-feira, no “Memorial da Inclusão: Os Caminhos da Pessoa com Deficiência”, na Rua Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10 – Barra Funda – São Paulo, próximo à Estação Barra Funda.

Para mais informações, ligue para (11) 5212-3700 ou acesse o site: www.memorialdainclusao.sp.gov.br.

A entrada é gratuita e o site da exposição é: www.sentirpraver.com.br.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

MicroPower participa de evento sobre Inclusão de PcD Visual no Mercado de Trabalho

No último dia 12 de março, a MicroPower participou do evento “A Inclusão do PcD Visual no Mercado de Trabalho”, realizado pela AAPSA – Associação Paulista de Recursos Humanos e de Gestores de Pessoas, em São Paulo.

Com o objetivo de fornecer informações sobre como inserir uma pessoa com deficiência visual no quadro de funcionários de uma empresa, o evento abordou assuntos como o empreendedorismo da pessoa com deficiência e como definir uma vaga ou função.

O DJ e palestrante Anderson Farias, que trabalhou por 12 anos com tecnologia assistiva, falou sobre os sistemas que podem ser utilizados e as novas tecnologias que podem assessorar o deficiente visual, como o Virtual Vision, programa que possibilita o DV utilizar com autonomia o Windows, o Office, o Internet Explorer e outros aplicativos, através da leitura dos menus e telas desses programas por um sintetizador de voz.

Anderson também falou sobre a importância da empresa dar oportunidade igual a todos os funcionários, simulando situações reais de trabalho e realizar testes, sempre acompanhados por pessoas com deficiência visual, além de treinamento e capacitação.


Encerrando o evento, Silvia Cury, palestrante e Coordenadora dos Programas do CTI, apresentou o CTI – Centro de Tecnologia e Inclusão, localizado no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (Pefi), em São Paulo. O espaço é gerenciado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina – SPDM.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Fundação Dorina lança "Coleção Clássicos Infantis" para crianças com deficiência visual


"Era uma vez" e "foram felizes para sempre" são frases que sempre atraíram o público infantil, e a magia é mesmo esta! A novidade é que esses famosos bordões estarão em 10 títulos infantis que poderão ser lidos por pessoas com deficiência visual, seus familiares, amigos e professores. Não são apenas as crianças que vão se encantar com os heróis, vilões e mocinhas dos contos de fadas. Os adultos também poderão reviver suas experiências junto aos pequenos com a nova coleção inclusiva desenvolvida pela Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Bela Adormecida, Cinderela, João e Maria, João e o Pé de Feijão, Os Três Porquinhos, Peter Pan, Robin Hood e Rapunzel foram os títulos selecionados para serem impressos seguindo o conceito de livro inclusivo. Os exemplares são impressos em braille e fonte ampliada, possui  relevos nas imagens, além de serem ilustrados de maneira caprichada e com cores vibrantes. Do jeito que qualquer criança gosta.

Há também um CD com a leitura das histórias com versão com e sem audiodescrição - recurso que transforma as imagens em palavras, aumentando o acesso das pessoas com deficiência visual a diferentes materiais. Os efeitos sonoros e lúdicos irão estimular os diferentes sentidos do leitor. Estas características fazem com que a Coleção Clássicos Acessíveis seja um material para que todos leiam e vivam juntos a magia e o encantamento proporcionados pelas sagas infantis!

"Para a criança com deficiência visual é muito importante ter um livro destes em suas mãos por ser um dos primeiros contatos com a leitura, com o universo dos contos de fadas, por trabalhar o imaginário com a atmosfera lúdica que as historinhas infantis proporcionam", afirma Ana Paula Silva, coordenadora de acesso ao livro da Fundação Dorina. "É um projeto inédito que vem para complementar em sala de aula e em outros ambientes sociais, permitindo que a criança cega ou com baixa visão leia sozinha, com seus amigos e parentes, que a leitura aconteça de pai para filho, de professor para aluno... É uma quebra de barreiras e uma forma de incluir por meio dos contos de fadas", completa a profissional. 

Foram produzidas 3 mil unidades da Coleção Clássicos Acessíveis que chegarão gratuitamente às bibliotecas, escolas públicas e instituições que atuam com o público com deficiência visual em todo o Brasil. Os kits são compostos por 10 exemplares (um de cada título) acompanhados por um CD com a leitura da história em versão com e sem audiodescrição. Em breve os livros estarão à venda no site da Fundação Dorina e no Dona Dorina Outlet.

Este lançamento faz parte da comemoração dos 69 anos da Fundação Dorina, comemorado em 11 de março. A instituição existe para que as pessoas com deficiência visual tenham suas vidas transformadas e garantir o acesso à cultura e à informação é uma das vias. 

O projeto Coleção Clássicos da Literatura Infantil, em formato acessível, foi viabilizado por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac) e contou com os Parceiros de Visão: Cielo, Azul Linhas Aéreas, Innova, Magazine Luiza, Alupar & Cemig, Kraton, Concessionária de Rodovias TEBE, Isapa, Faber-Castell, CRS Brands, Unifi do Brasil, Mineração Jundu, Planservi Engenharia e Bandeirantes Logística Integrada. A realização e iniciativa são Fundação Dorina Nowill para Cegos em parceria com o Ministério da Cultura e Governo Federal.  

Sobre a Fundação Dorina Nowill para Cegos - A Fundação Dorina Nowill para Cegos atua há 69 anos facilitando a inclusão de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, por meio de serviços gratuitos e especializados de reabilitação, educação especial, clínica de visão subnormal e programas de empregabilidade. A instituição foi fundada por Dorina de Gouvêia Nowill, que ficou cega aos 17 anos e percebeu a defasagem de livros para pessoas com deficiência visual no Brasil. A partir disso, iniciou um trabalho para que os livros em braille e a alfabetização por este método chegassem ao país. Com o passar do tempo, a Fundação do Livro para o Cego no Brasil tornou-se Fundação Dorina Nowill para Cegos e passou a oferecer novos produtos e serviços, além dos livros em braille. Atualmente, a instituição é referência na produção de livros e revistas acessíveis nos formatos braille, áudio e digital Daisy, distribuídos gratuitamente para pessoas com deficiência visual e para mais de 2500 escolas, bibliotecas e organizações em todo o Brasil.
Website: www.fundacaodorina.org.br
Telefone: (11) 5087-0999
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

UNESP cria Planetário para pessoas com deficiência visual


O Grupo de Amadores de Astronomia de Ilha Solteira “Prof. Mário Schenberg” – GAAIS do Departamento de Física e Química da Unesp naquela cidade tem se dedicado à divulgação da Astronomia para estudantes, amadores e para a população da região. 

Com esse objetivo, foram investidos esforços e conhecimento para que pessoas com deficiências visuais (DV) possam aprender alguns conceitos sobre o assunto e adquirir uma melhor ideia de como é o céu noturno, com seus bilhões e bilhões de estrelas e constelações visto por uma pessoa sem deficiência visual.

Foi assim construído por membros do GAAIS e colaboradores um planetário especial. Foi dividido em duas partes, ou seja, foram construídos dois hemisférios, o norte e o sul, contendo algumas das principais estrelas (mais de 500 estrelas) que formam as constelações austrais, boreais e do zodíaco (total de 72 constelações).

Com a metodologia adotada, o DV pode ter uma ideia menos abstrata sobre a distribuição das estrelas na abobada celeste, a magnitude aparente das estrelas e a localização dos astros entre outros conceitos.

A iniciativa, inovadora na região e no país, oferece uma excelente oportunidade para os DVs vislumbrarem novos horizontes. “Para o Grupo, credenciado junto ao CNPq, o projeto é uma maneira de atender melhor e possibilitar a inclusão de pessoas com deficiência visual em mais uma área anteriormente a anos-luz de distância e, agora, possivelmente, a alguns passos de todos”, conclui Cláudio L de Carvalho,  professor da Unesp de Ilha Solteira e coordenador do GAAIS.

Para saber mais sobre o Planetário, entrar em contato com o Prof. Dr. Cláudio L. Carvalho, pelo e-mail: carvalho@dfq.feis.unesp.br ou pelo telefone (18) 3743-1058.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter