Caminhada da Bengala Verde

O evento pretende chamar a atenção da população para a realidade das pessoas com baixa visão


No dia 16 de maio, o Grupo Retina São Paulo realiza a Caminhada da Bengala Verde pela Avenida Paulista, em São Paulo. Com o slogan “Queremos que você nos veja”, os participantes pretendem chamar a atenção da população para a realidade das pessoas com baixa visão, aquelas com acuidade visual igual ou inferior a 20/200 ou com campo visual menor que 20 graus no melhor olho.


Conforme explica o site da ONG, essas pessoas não são totalmente cegas, mas têm uma capacidade muito reduzida de enxergar. No caso de diminuição da acuidade visual, os indivíduos têm dificuldades para realizar atividades como ler, reconhecer outras pessoas, cozinhar e dirigir. Já aqueles com alteração do campo visual não conseguem identificar pessoas que estejam ao seu lado, têm o caminhar comprometido e ficam propensos a tropeços e esbarrões.


Os problemas de baixa visão não podem ser solucionados com o uso de óculos ou cirurgias. Na maioria dos casos, eles são causados por doenças da retina ou glaucoma avançado, que não tem regressão. 


O uso da bengala verde por pessoas com baixa visão tornará possível sua identificação e diferenciação em relação às pessoas cegas. Segundo o Grupo Retina, a partir da conscientização, serão possíveis ações voltadas à melhoria das condições de acessibilidade, mobilidade e inserção social dos mesmos. E, ainda, a bengala passa a ser um instrumento de comunicação entre esses indivíduos e a sociedade. 


Para mais informações sobre o projeto ou como adquirir a bengala verde, acesse o site do Grupo Retina.


Projeto Bengala Verde

Dia 16 de maio, sábado, às 10h.

Local do encontro: Av. Paulista, em frente ao Parque Trianon, altura do número 1.000. 

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Fundação Dorina oferece curso gratuito de orientação e mobilidade

O Curso de Orientação e Mobilidade será ministrado por especialistas na área da deficiência em seis capitais brasileiras


A perda ou a diminuição da capacidade de enxergar afeta a interação de qualquer cidadão com o ambiente, podendo interferir, inclusive, em seu direito básico de ir e vir. Dessa forma, orientação e mobilidade mostram-se como os principais recursos de autonomia e liberdade para uma pessoa com deficiência visual.  

 

Com o apoio do Governo Federal – Secretaria dos Direitos Humanos, a Fundação Dorina Nowill para Cegos desenvolveu o Curso de Orientação e Mobilidade, um projeto pautado na qualificação de professores, educadores e demais profissionais da área de educação e saúde. Seu principal objetivo é fazer com que os participantes aprendam técnicas de como conduzir, com segurança e eficiência, uma pessoa com deficiência visual em diferentes situações.

 

Ministrado por especialistas na área de deficiência e no ensino de orientação e mobilidade, o curso tem carga de 40 horas e oferece certificação aos participantes. Detalhes sobre inscrições podem ser obtidos por e-mail ou pelos telefones (48) 3226-7005 e (48) 8411-2509. Confira a agenda do evento e, para mais informações, acesse o site


Programação Curso de Orientação e Mobilidade

Manaus (AM) – 25 a 29 de maio de 2015

Belém (PA) – 25 a 29 de maio de 2015

Cuiabá (MT) – 22 a 26 de junho de 2015

Brasília (DF) – 29 de junho a 03 de julho de 2015

Natal (RN) – 24 a 28 de agosto de 2015

Fortaleza (CE) – 24 a 28 de agosto de 2015

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter