Fundação Dorina oferece curso gratuito de orientação e mobilidade

O Curso de Orientação e Mobilidade será ministrado por especialistas na área da deficiência em seis capitais brasileiras


A perda ou a diminuição da capacidade de enxergar afeta a interação de qualquer cidadão com o ambiente, podendo interferir, inclusive, em seu direito básico de ir e vir. Dessa forma, orientação e mobilidade mostram-se como os principais recursos de autonomia e liberdade para uma pessoa com deficiência visual.  

 

Com o apoio do Governo Federal – Secretaria dos Direitos Humanos, a Fundação Dorina Nowill para Cegos desenvolveu o Curso de Orientação e Mobilidade, um projeto pautado na qualificação de professores, educadores e demais profissionais da área de educação e saúde. Seu principal objetivo é fazer com que os participantes aprendam técnicas de como conduzir, com segurança e eficiência, uma pessoa com deficiência visual em diferentes situações.

 

Ministrado por especialistas na área de deficiência e no ensino de orientação e mobilidade, o curso tem carga de 40 horas e oferece certificação aos participantes. Detalhes sobre inscrições podem ser obtidos por e-mail ou pelos telefones (48) 3226-7005 e (48) 8411-2509. Confira a agenda do evento e, para mais informações, acesse o site


Programação Curso de Orientação e Mobilidade

Manaus (AM) – 25 a 29 de maio de 2015

Belém (PA) – 25 a 29 de maio de 2015

Cuiabá (MT) – 22 a 26 de junho de 2015

Brasília (DF) – 29 de junho a 03 de julho de 2015

Natal (RN) – 24 a 28 de agosto de 2015

Fortaleza (CE) – 24 a 28 de agosto de 2015

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Prefeitura de São Caetano inaugura Adendo de Livros em Braille e audiolivros


Em celebração ao Dia Nacional do Sistema Braille, comemorado na última quarta-feira (8/4), a Prefeitura de São Caetano do Sul inaugurou o Adendo de Livros em Braille e audiolivros da Biblioteca Dirma das Neves Vicente, localizada na Agência de Desenvolvimento do Bairro Prosperidade (Avenida Prosperidade, 441). Mais informações sobre o novo espaço pelo telefone 4226-6057.
 
O acervo é composto por cerca de 310 volumes de edições em audiolivros, braille e fonte ampliada, doados em parceria permanente com a Fundação Dorina Nowill e o Instituto Benjamin Constant, que prevê a atualização dos mesmos. São livros com temas de autoajuda, educativos, infanto-juvenis e clássicos, como O Pequeno Príncipe, do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, Menino Maluquinho, de Ziraldo, Iracema, de José de Alencar, Atlas Geográfico, da Editora Melhoramentos, entre outros diversos exemplares.
 
A iniciativa da Prefeitura valoriza ainda mais o Bairro Prosperidade, já que no local, às quartas-feiras, das 10h às 11h30, são ministradas gratuitamente à população aulas de Braille e Técnicas de Orientação e Mobilidade. E nas quintas-feiras, das 15h às 17h, Língua Brasileira de Sinais (Libras). Alunos do curso de Braille com e sem deficiência visual, a maior parte formada de moradores locais, tiveram o primeiro contato com os livros e aprovaram.
 
“Estamos entregando à população mais esta ação de inclusão. O governo investe bastante no setor, com destaque à natação adaptada, que é referência nacional, o aplicativo CittaMobi, que facilita o acesso aos ônibus municipais para deficientes ou não, e em várias áreas da Administração”, ressaltou o secretário de Comunicação Social e chefe de gabinete em exercício, Fernando Scarmelloti, que na oportunidade representou o prefeito Paulo Pinheiro.
 
Para o secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência ou Mobilidade Reduzida, Thiago Tortorello, o adendo proporcionará aos munícipes com deficiência visual ou não a chance de se atualizarem. “São Caetano é uma cidade inclusiva. Prova disso é o grande sucesso dos cursos aqui na agência. Teremos que abrir novas turmas. Este prédio, que abrigava a Caixa Econômica Federal, foi todo revitalizado no começo da gestão. E agora estamos dando uma utilidade importante, especialmente, para os moradores do bairro.”
 
Além de Scarmelloti e Thiago, estiverem presentes na cerimônia de lançamento, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Graça Pinheiro, a responsável pela agência, Glória Santos, vereador Jorge Salgado, autoridades e funcionários municipais e alunos dos cursos.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

MicroPower confere as novidades da Reatech 2015


Ontem, 9 de abril, a MicroPower foi conferir as novidades na abertura do maior evento da América Latina dedicado às pessoas com deficiência (PcD), a Reatech 2015 - Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade.

O evento, que é gratuito, neste ano reforça o compromisso de trazer inovações em soluções de produtos, equipamentos e serviços, refletindo na melhoria da qualidade de vida e integração da sociedade e ao trabalho das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

A feira acontece até o dia 12 de abril de 2015, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, reunindo durante quatro dias, a indústria nacional e internacional, representada por 300 marcas expositoras de aplicativos, adaptações veiculares, cadeiras de rodas elétricas, próteses e órteses, aparelhos auditivos, produtos ortopédicos, materiais hospitalares, distribuidores de produtos, educação, entidades públicas e privadas, entre outros, numa ampla oportunidade de negócios e relacionamento entre empresas do segmento, profissionais do setor e consumidores.


O Bradesco marcou presença na Reatech, mostrando o site totalmente acessível e o funcionamento do Virtual Vision, solução para que pessoas com deficiência visual possam utilizar com autonomia o Windows, o Office, o Internet Explorer e outros aplicativos, através da leitura dos menus e telas desses programas por um sintetizador de voz.


Para atender as necessidades dos visitantes, a feira terá manual em braille, piso podotátil, maior quantidade de banheiros adaptados e corredores mais largos, facilitando a visitação de todos que frequentarem o evento.


Além da área expositiva, a organização da feira preparou uma lista de atividades culturais e sociais como palco com shows e desfiles, equoterapia, test-drive de carros adaptados e quadras poliesportivas, dentre outras. Diversas empresas do setor de empregabilidade disponibilizam vagas às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, além de receber currículos de candidatos. Um dos principais atrativos da feira é a oportunidade de participar da ampla programação de seminários, workshops e oficinas.


A Reatech acontece na São Paulo Expo, na Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 - São Paulo.

Confira a programação completa clicando aqui.

Sobre a Reatech: Organizada pela Cipa Fiera Milano, é considerada a maior feira de reabilitação na América Latina. O evento reúne agências de emprego (com mais de sete mil vagas voltadas às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida), intituições financeiras, fabricantes de cadeiras de rodas, departamentos de recursos humanos, indústrias farmacêuticas, segmentos de animais treinados, aparelhos auditivos, equipamentos especiais, materiais hospitalares, higiene pessoal, prótese e órteses, terapias alternativas, turismo e lazer.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Câmara aprova Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência


Após um acidente de carro, a deputada Mara Gabrilli (SP) viveu a experiência de não conseguir falar, se mexer nem respirar sozinha. Tetraplégica, ela conhece profundamente a situação dos 45 milhões de brasileiros que têm algum tipo de deficiência. Esse conhecimento deu a ela o papel de relatora do Estatuto da Pessoa com Deficiência, aprovado no plenário da Câmara. O texto seguirá para o Senado.

“Tenho muita gratidão por ter sido eleita para viver esse momento e saber que, a partir de hoje, 45 milhões de brasileiros passarão a ter direitos e poderão deixar de ser invisíveis”, disse da tribuna a tucana, que é terceira secretária da Mesa.

O projeto que deu origem ao texto é do ano de 2006, anterior à Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência. O documento resultante da reunião foi aprovado no Congresso em 2008 com quórum qualificado, ou seja, recebeu status de norma constitucional. “De lá para cá, muitos ‘fazedores de lei’, parlamentares e juízes, não conhecem a convenção e a desrespeitam”, explicou Mara.

No início do primeiro mandato, em 2011, a deputada deu início a um trabalho conjunto com juristas, especialistas e parlamentares para adaptar o projeto inicial. “Pela primeira vez na Casa um projeto foi feito de forma tão democrática”, lembrou. O resultado desse trabalho ainda foi avaliado em diversas audiências públicas por todo o país.

A população enviou suas considerações durante o período de consulta pública, de seis meses. O texto foi integralmente traduzido na Língua Brasileira de Sinais, algo inédito na Câmara. Mara destacou que o estatuto não é fruto de uma ou outra legenda: é suprapartidário. “Ter ou não uma deficiência não diz respeito a partido algum e isso os deputados demonstraram nas audiências feitas em todo o Brasil”, completou.

Entre outras medidas, o texto define o que é considerado deficiência e prevê atendimento prioritário em órgãos públicos para as pessoas com deficiência, além de dar ênfase nas políticas públicas.

O deputado Otavio Leite (RJ) destacou a abrangência da proposta: “23% da população brasileira têm algum tipo de deficiência e têm pleno direito consagrado na constituição aos bens civilizatórios, a tudo o que o ser humano pode alcançar na sua vida, como oportunidades de emprego, acesso a saúde e educação”, disse.

Ciência e Tecnologia – O plenário aprovou, por 315 votos a 1, o regime de urgência para o Projeto de Lei 2177/11, do líder da Oposição, deputado Bruno Araújo (PE), que muda a forma de atuação das instituições científicas e tecnológicas (ICT) públicas perante empresas e estimula a participação de pesquisadores junto a projetos de pesquisa por meio de parcerias com o setor privado.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Exposição “Sentir prá Ver” leva as artes plástica às pessoas com deficiência


No próximo dia 7 de abril, a partir das 19h, acontece a abertura do exposição “Sentir prá Ver”, no “Memorial da Inclusão: Os Caminhos da Pessoa com Deficiência”.

Reunindo uma seleção de 14 reproduções fotográficas de obras do acervo da Pinacoteca do Estado, a exposição “Sentir prá Ver” é um convite, a todos os públicos, para que apreciem, por meio dos sentidos, com ou sem o uso da visão, de alguns dos principais temas das artes plásticas como, retratos, natureza-morta, cenas, paisagens e abstração, pintados por artistas entre os séculos XIX e XX no Brasil.


Os temas representados foram organizados segundo uma leitura comparativa entre obras com temáticas semelhantes, representadas, porém, de formas diferentes, ampliando desse modo, as relações e significados que essas obras poderão suscitar nos visitantes.

Para garantir uma participação mais efetiva e autônoma de todos os públicos, respeitando as suas diferenças e necessidades, a exposição “Sentir prá Ver” foi concebida segundo os padrões de acessibilidade universal dirigidos principalmente às pessoas em cadeira de rodas, com mobilidade reduzida e perda parcial ou total de visão.

Seguindo o mesmo critério de acessibilidade, e para estimular e ampliar o conhecimento e a apreciação da arte utilizando-se de todos os sentidos foram elaborados para essa exposição, recursos de apoio multissensoriais como, reproduções em relevo, maquetes, extratos sonoros, poemas e textos investigativos, sendo estes últimos, disponibilizados em dupla leitura (tinta com letras ampliadas e Braille) para pessoas com deficiências visuais.

A partir da primeira mostra, realizada na Pinacoteca de São Paulo, no ano de 2012, a exposição “Sentir prá Ver” iniciou o seu programa de itinerância, cuja proposta é percorrer cidades do interior e litoral do Estado de São Paulo, como também, cidades de outras regiões do Brasil, contribuindo efetivamente para que o conceito de inclusão tenha um efeito multiplicador de incentivo e viabilização ao acesso de todos os públicos, independentemente de suas diferenças e necessidades.

A exposição continua do dia 8 de abril a 26 de junho, das 9h às 18h, de segunda à sexta-feira, no “Memorial da Inclusão: Os Caminhos da Pessoa com Deficiência”, na Rua Auro Soares de Moura Andrade, 564 – Portão 10 – Barra Funda – São Paulo, próximo à Estação Barra Funda.

Para mais informações, ligue para (11) 5212-3700 ou acesse o site: www.memorialdainclusao.sp.gov.br.

A entrada é gratuita e o site da exposição é: www.sentirpraver.com.br.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

MicroPower participa de evento sobre Inclusão de PcD Visual no Mercado de Trabalho

No último dia 12 de março, a MicroPower participou do evento “A Inclusão do PcD Visual no Mercado de Trabalho”, realizado pela AAPSA – Associação Paulista de Recursos Humanos e de Gestores de Pessoas, em São Paulo.

Com o objetivo de fornecer informações sobre como inserir uma pessoa com deficiência visual no quadro de funcionários de uma empresa, o evento abordou assuntos como o empreendedorismo da pessoa com deficiência e como definir uma vaga ou função.

O DJ e palestrante Anderson Farias, que trabalhou por 12 anos com tecnologia assistiva, falou sobre os sistemas que podem ser utilizados e as novas tecnologias que podem assessorar o deficiente visual, como o Virtual Vision, programa que possibilita o DV utilizar com autonomia o Windows, o Office, o Internet Explorer e outros aplicativos, através da leitura dos menus e telas desses programas por um sintetizador de voz.

Anderson também falou sobre a importância da empresa dar oportunidade igual a todos os funcionários, simulando situações reais de trabalho e realizar testes, sempre acompanhados por pessoas com deficiência visual, além de treinamento e capacitação.


Encerrando o evento, Silvia Cury, palestrante e Coordenadora dos Programas do CTI, apresentou o CTI – Centro de Tecnologia e Inclusão, localizado no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (Pefi), em São Paulo. O espaço é gerenciado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina – SPDM.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter